quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Noite assim como a de hoje, o cenário era o Aterro do Flamengo. Caminhei em direção a areia em meio a ondas, lixo e ratos brancos.

Um menino corria em minha direção, imaginei que era um menino, só reconhecia um borrão correndo em minha direção.

Ele rodopiava pela areia da praia, o que causava vertigem.

Eu sentia medo por ele estar perdido

Ele mais encontrado do que nunca

Eu senti medo por estar perdido

Ele ria de mim

Rodopios cada vez mais

(in)tensos


Quando dei por mim,
ou por ele,
o menino era eu.

2 comentários:

ycavour disse...

Belo texto. Mas gostei mesmo da foto com um super smile! rs De propósito? Ou só eu vi isso?

Amanda disse...

lindo demais, fe, demais!